01 setembro 2011

Entrevistas NOVÍSSIMOS 2011 ____ Leo Ayres (RJ)

1- Na sua opinião, por que jovens artistas ainda têm interesse em participar de salões?

É uma forma de fazer o trabalho circular e ser conhecido. É também importante ter um feedback sobre o seu trabalho.


2- Qual a importância para você em colaborar com um projeto como Novíssimos? O que isso agrega (ou agregaria) para sua formação e para sua trajetória artística?

Sempre que há uma exposição, podemos ver como o nosso trabalho é percebido por outros, trazendo novas informações sobre o que estamos mostrando. Ter contato com outros artistas que estão, neste caso, dialogando com o seu trabalho é fundamental para o desenvolvimento do mesmo.


3- Como ficou sabendo das inscrições? Já conhecia o Salão ou a Galeria Ibeu?

Já conhecia e vi que estava melhorando a cada ano. Daí meu interesse também em participar.


4- De que modo o(s) trabalho(s) exposto(s) na Galeria pode(m) ser compreendido(s) em relação a sua produção, vista em conjunto?

A maior parte da minha produção gira em torno de amor e sexo, sempre num jogo de mostrar e esconder, de se aproximar e se distanciar.


5- Poderia falar um pouco sobre seu processo investigativo?

Esta série de colagens usa um livro de fotografias de nus. Meu objetivo era tentar usar as páginas do livro de diversas formas, e pensar como as páginas poderiam interagir umas com as outras, assim como as pessoas.