05 novembro 2012

Eu e outros nós, de Tiago Rivaldo - Programação


No dia 6 de novembro será aberta a individual “Eu e outros nós”, de TIAGO RIVALDO, artista selecionado através do edital do Programa de Exposições Ibeu. A mostra, que acontece na Galeria de Arte Ibeu, estará aberta à visitação de 7 de novembro a 7 de dezembro, das 13h às 19h, de segunda a sexta-feira, na Av. N. Sra. de Copacabana, 690 | 2º andar. A entrada é franca.

Tiago Rivaldo apresenta sua primeira individual no Rio de Janeiro, “Eu e outros nós”, na qual reúne um conjunto de trabalhos dos últimos dez anos. Performances, ações urbanas, fotografias e vídeos circulam em torno da relação entre retrato e paisagem, identidade e território, pessoa e lugar, arte e artista.
Gaúcho de Porto Alegre, Tiago vive no Rio há pouco mais de dez anos, durante os quais desenvolveu seus trabalhos em busca de uma reterritorialização. Em pequenas ficções, como personagem de si mesmo, o artista se desloca pelo cotidiano da cidade em busca de identificação exterior. É no outro que vai encontrar seu reflexo para desconhecer-se na ambiência do jogo e ser conduzido pela fragilidade das relações a zonas ainda mais inseguras.

Durante o período de exposição, o artista montará uma programação de ações a serem apresentadas aos domingos no calçadão da Praia de Copacabana, trecho próximo à Galeria Ibeu, entre as ruas Figueiredo de Magalhães e Santa Clara.

Programação:

18/11 | Domingo | 12h | Calçadão
(entre as Ruas Figueiredo de Magalhães e Santa Clara)
Personal DJ Baile da Mudança, com Susana Guardado, ação participativa

25/11 | Domingo | Praia de Copacabana
Esperando Cravan, ação contemplativa

2/12 | Domingo | 15h | Calçadão
(entre as Ruas Figueiredo de Magalhães e Santa Clara)
Via de mãos dadas, nº1, performance

7/12 | Sexta | 19h | Galeria Ibeu
Encerramento da Exposição
Lançamento do Catálogo
Conversa | ação participativa

Para Bernardo Mosqueira, curador da exposição: “Essa exposição “Eu e outros nós”, como toda mostra individual, é resultado de um tempo vivido pelo artista; mas, nesse caso, sobretudo, a exposição é resultado da maneira escolhida por Tiago para viver esses últimos 10 anos... Elaborando maneiras de investigar identidade (principalmente máquinas e propostas afetivas, conceituais e construtivas), Tiago buscou o encontro com o outro ou com a própria solidão. Em sua pesquisa, buscou formas de fundir o interior e o exterior da câmara escura como quem confunde objeto e tela, virtual e real, visual e tátil, observador e observado, retrato e paisagem. Criando imagem como quem cria encontros. Criando cor como quem faz caminho. Descobrindo ser como quem faz narrativas, como quem faz possível a vida e a própria vida".